Sismac
  • Geral

    Plebiscito da Vale do Rio Doce vai até o final de semana

    Plebiscito da Vale do Rio Doce vai até o final de semana
    Até o final de semana está sendo realizado o Plebiscito pela reestatização da Companhia Vale do Rio Doce. A venda da Vale foi um dos maiores saques contra as riquezas do Brasil.

    À pergunta se a Cia Vale do Rio Doce deve continuar sob controle do capital privado, vote NÃO.

    Para melhor conhecimento sobre a venda da Cia Vale do rio Doce, saiba que:

    1)
    A Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada em 1997 por menos de 4 bilhões de dólares, embora tenha sido avaliada em 92 bilhões, na época. Hoje, ela vale quase 200 bilhões. Conforme afirmou seu diretor de Finanças, em 2005 a Vale possuía patrimônio de 40 bilhões de dólares.

    2) Em 1995 a Vale declarou à Bolsa de Nova York que possuía reservas de minério de ferro de 7,9 bilhões toneladas no Sistema Sul (MG) e de 4,9 bilhão de toneladas no Sistema Norte (Carajás). No dia do leilão, ambas foram informadas com sendo de 1,4 bilhão cada.

    3) De acordo com o Código Penal Militar nenhum estrangeiro pode ter mais de 2 mil hectares de terra no Brasil, a menos que seja autorizado pelo Senado. Mesmo assim, os acionistas estrangeiros (que são maioria na Vale) possuem 26 milhões de hectares das melhores minas do Brasil.

    4) O Banco Bradesco foi escolhido para modelar a privatização da Vale e, conforme regras da privatização, jamais poderia participar como acionista da companhia. Hoje, é o maior sócio nacional do negócio.

    5) As maiores reservas de Nióbio e Titânio (dos quais o Brasil é líder mundial – minerais indispensáveis na industria aeronáutica e aeroespacial), além das reservas de dolomito, fosfato, calcário, granito, cassiterita, estanho e grafita foram misteriosamente omitidas nos cálculos do preço de venda da Vale.

    6) A malha ferroviária e dois portos sendo um o de Itaqui – maior porto em águas profundas do Brasil – foram “esquecidos” nos cálculos do valor de venda da Vale.

    7) O preço não incluiu as 54 empresas em que a Vale operava diretamente, como coligada ou como controladora, incluindo CSN, CST, Usiminas e Açominas.

    8) A venda da Vale transferiu a estrangeiros o controle sobre grandes jazidas de Urânio, o que é terminantemente proibido pela Constituição Federal.

    9) Que o principal motivo alegado pelo governo do PSDB e PFL (atual DEM) e de FHC para privatizar a companhia foi a redução da dívida externa. Ao contrário, o dinheiro se perdeu e ainda houve um grande aumento das dívidas interna e externa.

    10) Nossa dívida estaria paga se fosse calculado o direito eterno (eterno = para sempre) que a Vale tem de explorar mais de 20 milhões de hectares do subsolo de território brasileiro (meu, seu, de nossos filhos e netos). Se o cálculo de venda comoputasse o potencial estratégico desse direito e a capacidade geradora de riqueza, o valor da Vale poderia chegar a 1 trilhão de dólares. Quitaria totalmente as nossas dívidas interna e externa.

    11) Que após o Leilão, grandes minas de ouro em poder da Vale foram postas para funcionar e geram lucro e riqueza em sua maioria para os acionistas estrangeiros.

    12) A Justiça pode anular o leilão de venda da Vale. Apesar de sofrer poderosas influências e pressões, o STJ - Superior Tribunal de Justiça pode decidir pela anulação do leilão. Devemos pressionar para que o tribunal restitua ao povo brasileiro o que é seu e que nunca poderia ter sido tomado de maneira imoral e escandalosa.

    Leia também:
    • Vote no plebiscito pela reestatização da Vale do Rio Doce
  • Geral

    Plebiscito da Vale do Rio Doce vai até o final de semana

    Plebiscito da Vale do Rio Doce vai até o final de semana
    Até o final de semana está sendo realizado o Plebiscito pela reestatização da Companhia Vale do Rio Doce. A venda da Vale foi um dos maiores saques contra as riquezas do Brasil.

    À pergunta se a Cia Vale do Rio Doce deve continuar sob controle do capital privado, vote NÃO.

    Para melhor conhecimento sobre a venda da Cia Vale do rio Doce, saiba que:

    1)
    A Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada em 1997 por menos de 4 bilhões de dólares, embora tenha sido avaliada em 92 bilhões, na época. Hoje, ela vale quase 200 bilhões. Conforme afirmou seu diretor de Finanças, em 2005 a Vale possuía patrimônio de 40 bilhões de dólares.

    2) Em 1995 a Vale declarou à Bolsa de Nova York que possuía reservas de minério de ferro de 7,9 bilhões toneladas no Sistema Sul (MG) e de 4,9 bilhão de toneladas no Sistema Norte (Carajás). No dia do leilão, ambas foram informadas com sendo de 1,4 bilhão cada.

    3) De acordo com o Código Penal Militar nenhum estrangeiro pode ter mais de 2 mil hectares de terra no Brasil, a menos que seja autorizado pelo Senado. Mesmo assim, os acionistas estrangeiros (que são maioria na Vale) possuem 26 milhões de hectares das melhores minas do Brasil.

    4) O Banco Bradesco foi escolhido para modelar a privatização da Vale e, conforme regras da privatização, jamais poderia participar como acionista da companhia. Hoje, é o maior sócio nacional do negócio.

    5) As maiores reservas de Nióbio e Titânio (dos quais o Brasil é líder mundial – minerais indispensáveis na industria aeronáutica e aeroespacial), além das reservas de dolomito, fosfato, calcário, granito, cassiterita, estanho e grafita foram misteriosamente omitidas nos cálculos do preço de venda da Vale.

    6) A malha ferroviária e dois portos sendo um o de Itaqui – maior porto em águas profundas do Brasil – foram “esquecidos” nos cálculos do valor de venda da Vale.

    7) O preço não incluiu as 54 empresas em que a Vale operava diretamente, como coligada ou como controladora, incluindo CSN, CST, Usiminas e Açominas.

    8) A venda da Vale transferiu a estrangeiros o controle sobre grandes jazidas de Urânio, o que é terminantemente proibido pela Constituição Federal.

    9) Que o principal motivo alegado pelo governo do PSDB e PFL (atual DEM) e de FHC para privatizar a companhia foi a redução da dívida externa. Ao contrário, o dinheiro se perdeu e ainda houve um grande aumento das dívidas interna e externa.

    10) Nossa dívida estaria paga se fosse calculado o direito eterno (eterno = para sempre) que a Vale tem de explorar mais de 20 milhões de hectares do subsolo de território brasileiro (meu, seu, de nossos filhos e netos). Se o cálculo de venda comoputasse o potencial estratégico desse direito e a capacidade geradora de riqueza, o valor da Vale poderia chegar a 1 trilhão de dólares. Quitaria totalmente as nossas dívidas interna e externa.

    11) Que após o Leilão, grandes minas de ouro em poder da Vale foram postas para funcionar e geram lucro e riqueza em sua maioria para os acionistas estrangeiros.

    12) A Justiça pode anular o leilão de venda da Vale. Apesar de sofrer poderosas influências e pressões, o STJ - Superior Tribunal de Justiça pode decidir pela anulação do leilão. Devemos pressionar para que o tribunal restitua ao povo brasileiro o que é seu e que nunca poderia ter sido tomado de maneira imoral e escandalosa.

    Leia também:
    • Vote no plebiscito pela reestatização da Vale do Rio Doce

Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS