Sismac
  • 25 | 02 | 2022 - 09:57 Informe-se

    5 motivos que provam como a vacinação de crianças é segura

    5 motivos que provam como a vacinação de crianças é segura

    Em meio a tantas fake news espalhadas por extremistas anti-vacina, é fundamental entender que as vacinas são seguras para crianças e inúmeros estudos já comprovaram isso 

    Antes de serem aprovadas, as vacinas passaram por um rigoroso processo de testagem em três fases, com milhares de voluntários e avaliação científica sobre os efeitos desejados e possivelmente indesejados dos imunizantes. A população deve temer a doença, não a vacina.

    O acesso das crianças e adolescentes à vacina faz parte de seu direito à saúde, e precisa ser garantido por pais e responsáveis, assim com tem sido feito há décadas no Brasil para controle de outras doenças altamente contagiosas.

    O número de mortes na faixa entre 5 e 11 anos no Brasil é proporcionalmente maior do que outros países, e tem crescido com a variante Ômicron. A única estratégia para reduzir as mortes e frear esse crescimento é a imunização.

    Milhões de crianças já foram vacinadas ao redor do planeta, incluindo o Brasil, e ainda não existem registros de efeitos adversos graves.

    Vacinar crianças e adolescentes protege não apenas essa faixa etária, mas a população de todas as idades (já que ainda não existe vacinas que garantam 100% de imunidade contra a contaminação). Impedir que elas se vacinem é irresponsável com toda a sociedade, que precisa que todos colaborem para superarmos a pandemia.


    Fonte: SISMMAC

  • 25 | 02 | 2022 - 09:57 Informe-se

    5 motivos que provam como a vacinação de crianças é segura

    5 motivos que provam como a vacinação de crianças é segura

    Em meio a tantas fake news espalhadas por extremistas anti-vacina, é fundamental entender que as vacinas são seguras para crianças e inúmeros estudos já comprovaram isso 

    Antes de serem aprovadas, as vacinas passaram por um rigoroso processo de testagem em três fases, com milhares de voluntários e avaliação científica sobre os efeitos desejados e possivelmente indesejados dos imunizantes. A população deve temer a doença, não a vacina.

    O acesso das crianças e adolescentes à vacina faz parte de seu direito à saúde, e precisa ser garantido por pais e responsáveis, assim com tem sido feito há décadas no Brasil para controle de outras doenças altamente contagiosas.

    O número de mortes na faixa entre 5 e 11 anos no Brasil é proporcionalmente maior do que outros países, e tem crescido com a variante Ômicron. A única estratégia para reduzir as mortes e frear esse crescimento é a imunização.

    Milhões de crianças já foram vacinadas ao redor do planeta, incluindo o Brasil, e ainda não existem registros de efeitos adversos graves.

    Vacinar crianças e adolescentes protege não apenas essa faixa etária, mas a população de todas as idades (já que ainda não existe vacinas que garantam 100% de imunidade contra a contaminação). Impedir que elas se vacinem é irresponsável com toda a sociedade, que precisa que todos colaborem para superarmos a pandemia.


    Fonte: SISMMAC

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS