Sismac
  • 26 | 04 | 2022 - 16:01 Informe-se

    Carreira congelada é crueldade contra o magistério de Curitiba

    Carreira congelada é crueldade contra o magistério de Curitiba
    Profissionais do magistério de Curitiba estão sempre buscando mais qualificação para que o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas da capital paranaense esteja sempre em desenvolvimento. Mas a Prefeitura de Curitiba não reconhece isso e, pior, pune a categoria com um congelamento da carreira que dura anos.

    Desde 2017, quando a gestão Greca implementou o “Pacotaço”, os servidores do magistério não podem ter qualquer tipo de avanço, promoção ou progressão na carreira. E é pior ainda para quem entrou depois de 2012, que nunca conseguiu progredir.

    Professoras e professores que fizeram especialização, mestrado ou doutorado continuam estagnados no mesmo patamar. Além de profundamente injusto, isso é extremamente desmotivador para quem dedica tanto tempo para estudo e aperfeiçoamento.

    São medidas que prejudicam a vida profissional dos servidores e vão na contramão de qualquer proposta de ampliar a qualidade dos serviços oferecidos à população.

    O governo municipal prometeu retomar debates sobre o plano de carreira no primeiro semestre de 2022: precisamos valorizar os servidores, que vêm pagando uma conta que não é deles!

    É preciso implementar o Plano de Carreira conforme a Lei 14544 de 2014, já!

    Fonte: SISMMAC

     

  • 26 | 04 | 2022 - 16:01 Informe-se

    Carreira congelada é crueldade contra o magistério de Curitiba

    Carreira congelada é crueldade contra o magistério de Curitiba
    Profissionais do magistério de Curitiba estão sempre buscando mais qualificação para que o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas da capital paranaense esteja sempre em desenvolvimento. Mas a Prefeitura de Curitiba não reconhece isso e, pior, pune a categoria com um congelamento da carreira que dura anos.

    Desde 2017, quando a gestão Greca implementou o “Pacotaço”, os servidores do magistério não podem ter qualquer tipo de avanço, promoção ou progressão na carreira. E é pior ainda para quem entrou depois de 2012, que nunca conseguiu progredir.

    Professoras e professores que fizeram especialização, mestrado ou doutorado continuam estagnados no mesmo patamar. Além de profundamente injusto, isso é extremamente desmotivador para quem dedica tanto tempo para estudo e aperfeiçoamento.

    São medidas que prejudicam a vida profissional dos servidores e vão na contramão de qualquer proposta de ampliar a qualidade dos serviços oferecidos à população.

    O governo municipal prometeu retomar debates sobre o plano de carreira no primeiro semestre de 2022: precisamos valorizar os servidores, que vêm pagando uma conta que não é deles!

    É preciso implementar o Plano de Carreira conforme a Lei 14544 de 2014, já!

    Fonte: SISMMAC

     

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS