Sismac
  • 25 | 08 | 2021 - 17:01 Ed. Infantil

    Não ao PNLD que vai na contramão do aprendizado na educação infantil

    Não ao PNLD que vai na contramão do aprendizado na educação infantil
    Programa Nacional do Livro e do Material Didático vai contra as práticas pedagógicas da educação infantil

    Por meio de edital do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), o Ministério da Educação (MEC) vai contra as práticas pedagógicas que historicamente foram construídas na educação infantil e quer aplicar a utilização de materiais didáticos padronizados na educação infantil. Mães, pais, professores, professoras, diretores e diretoras, podem se perguntar, por que isso seria ruim?

    A educação infantil é uma importante fase de desenvolvimento da criança. Isso significa que é um momento de aprendizado constante e que deve ser feito através dos conhecimentos pedagógicos adquiridos pelos professores que entendem as necessidades da sua turma. Nessa fase da vida, os professores e professoras aplicam diversos materiais com uma imensa riqueza de conhecimentos. O aprendizado se dá através de brincadeiras, de contação de histórias, de lendas, de troca de afeto, e tudo isso não cabe em um livro didático.

    Mas você pode pensar que isso tudo é besteira, e que as crianças deveriam ser alfabetizadas o quanto antes. Entretanto, essa é uma concepção atrasada de aprendizado, aprender não é apenas ler e escrever. Mesmo com práticas mais lúdicas, a educação infantil ensina a criança a ter contato com o mundo letrado de diferentes formas. Além disso, é nesse período que a criança desenvolve aspectos importantes da socialização com outras pessoas.

    Hoje, as dificuldades encontradas em sala de aula no ensino público se dão principalmente pela falta de condições necessárias para promover o aprendizado de qualidade. Não é má vontade dos professores e professoras, pelo contrário, a busca de conhecimento de um profissional da educação não para nunca. Portanto, a solução para os problemas didáticos é a valorização do profissional através de cargas horárias de trabalho mais justas, cursos de capacitação, distribuição de livros infantis e de brinquedos que ajudem na aprendizagem, contratação de mais trabalhadores e garantia de tempo para pensar e organizar as aulas.

    A decisão do governo federal mostra o retrocesso que vem acontecendo na educação, afinal de contas, ter como pressuposto o aprendizado das crianças a partir de figuras e números apenas mostra o desconhecimento do que é a educação infantil. O currículo deve ser vivo. E em Curitiba, essa premissa deveria ser seguida, afinal de contas, a própria Secretária de Educação Maria Silvia Bacila defendeu a não utilização de livros didáticos na educação infantil nos seus projetos de pesquisa e debates que realizou nas universidades, porém, na Prefeitura, foi completamente contrária a esses ideais priorizando os desmandos da gestão Greca e contrariando as práticas pedagógicas acumuladas na educação infantil.

    Mas então, por que esse Programa será usado em Curitiba? Porque além de ser capacho da gestão Bolsonaro, a gestão Greca não é conhecida por dialogar com os trabalhadores da educação sobre o que é melhor, ou seja, a qualidade do ensino não é uma prioridade da gestão.

    Com esse debate, o SISMMAC e o SISMUC orientam que os servidores e servidoras da educação neguem a utilização dos livros didáticos na educação infantil. Porém, podemos aproveitar o que há de bom no PNDL, existe a possibilidade de escolher livros de literatura que são bem-vindos para guiar o aprendizado em sala de aula. A escolha dos livros pode ser feita até o dia 30 de agosto.

    Diga NÃO ao PNDL 2022!

  • 25 | 08 | 2021 - 17:01 Ed. Infantil

    Não ao PNLD que vai na contramão do aprendizado na educação infantil

    Não ao PNLD que vai na contramão do aprendizado na educação infantil
    Programa Nacional do Livro e do Material Didático vai contra as práticas pedagógicas da educação infantil

    Por meio de edital do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), o Ministério da Educação (MEC) vai contra as práticas pedagógicas que historicamente foram construídas na educação infantil e quer aplicar a utilização de materiais didáticos padronizados na educação infantil. Mães, pais, professores, professoras, diretores e diretoras, podem se perguntar, por que isso seria ruim?

    A educação infantil é uma importante fase de desenvolvimento da criança. Isso significa que é um momento de aprendizado constante e que deve ser feito através dos conhecimentos pedagógicos adquiridos pelos professores que entendem as necessidades da sua turma. Nessa fase da vida, os professores e professoras aplicam diversos materiais com uma imensa riqueza de conhecimentos. O aprendizado se dá através de brincadeiras, de contação de histórias, de lendas, de troca de afeto, e tudo isso não cabe em um livro didático.

    Mas você pode pensar que isso tudo é besteira, e que as crianças deveriam ser alfabetizadas o quanto antes. Entretanto, essa é uma concepção atrasada de aprendizado, aprender não é apenas ler e escrever. Mesmo com práticas mais lúdicas, a educação infantil ensina a criança a ter contato com o mundo letrado de diferentes formas. Além disso, é nesse período que a criança desenvolve aspectos importantes da socialização com outras pessoas.

    Hoje, as dificuldades encontradas em sala de aula no ensino público se dão principalmente pela falta de condições necessárias para promover o aprendizado de qualidade. Não é má vontade dos professores e professoras, pelo contrário, a busca de conhecimento de um profissional da educação não para nunca. Portanto, a solução para os problemas didáticos é a valorização do profissional através de cargas horárias de trabalho mais justas, cursos de capacitação, distribuição de livros infantis e de brinquedos que ajudem na aprendizagem, contratação de mais trabalhadores e garantia de tempo para pensar e organizar as aulas.

    A decisão do governo federal mostra o retrocesso que vem acontecendo na educação, afinal de contas, ter como pressuposto o aprendizado das crianças a partir de figuras e números apenas mostra o desconhecimento do que é a educação infantil. O currículo deve ser vivo. E em Curitiba, essa premissa deveria ser seguida, afinal de contas, a própria Secretária de Educação Maria Silvia Bacila defendeu a não utilização de livros didáticos na educação infantil nos seus projetos de pesquisa e debates que realizou nas universidades, porém, na Prefeitura, foi completamente contrária a esses ideais priorizando os desmandos da gestão Greca e contrariando as práticas pedagógicas acumuladas na educação infantil.

    Mas então, por que esse Programa será usado em Curitiba? Porque além de ser capacho da gestão Bolsonaro, a gestão Greca não é conhecida por dialogar com os trabalhadores da educação sobre o que é melhor, ou seja, a qualidade do ensino não é uma prioridade da gestão.

    Com esse debate, o SISMMAC e o SISMUC orientam que os servidores e servidoras da educação neguem a utilização dos livros didáticos na educação infantil. Porém, podemos aproveitar o que há de bom no PNDL, existe a possibilidade de escolher livros de literatura que são bem-vindos para guiar o aprendizado em sala de aula. A escolha dos livros pode ser feita até o dia 30 de agosto.

    Diga NÃO ao PNDL 2022!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS